Sorriso

9 Jun
Não me apetece sorrir a todas as horas. Há dias até em que acordo com a nuvem negra perpetuada na cabeça, e a única coisa que quero é estar no meu mundo sem que me chateiem, a gritar de forma voraz interiormente. Mas apesar disso esforço-me por sorrir. Pode sair-me um sorriso pouco expressivo em repleta dissonância com o olhar deveras sombrio. Acredito que sim. Mas prefiro um sorriso amarelo a um traço sisudo contente. É que, por mais mágoa com que acorde no coração, a última coisa que quero é ser uma frustrada de mal com o mundo, vivendo envolta por uma névoa solitária. Esforço-me todos os dias por não o ser. Porque por mais triste que esteja, por mais que aquilo que não tenho pareça infinitamente mais importante do que aquilo que tenho (como é possível?), o sol está a brilhar lá fora. E eu, felizmente, aprecio o seu esplendor. Não quero que nada me ceife a alegria de viver, a alegria de não me doer nada, a alegria de ter pessoas especiais ao meu redor…
Advertisements

Express yourself!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s