Os corações destroçados

2 Sep
Que os desgostos de amor fazem parte da vida todos sabemos. O problema aparece, no entanto, quando os começamos a coleccionar numa prateleira poeirenta da alma, qual sotão recôndito de amargura. Acredito que o facto de nos destroçarem os sentimentos nos muda enquanto pessoas. Há várias formas de reagir, é certo, mas ninguém se mete numa terceira ou numa quarta com a mesma fé que se meteu numa primeira da qual saiu espezinhado, não sejamos ingénuos. Pelo menos ao início. Por outro lado, só se nos entregarmos totalmente poderemos conhecer a felicidade, seja lá o que isso for.
 No fundo, é esta dicotomia manhosa e dilacerante que nos pode conduzir a viver algo mágico ou não, dependendo da escolha que fizermos.
O que me pergunto é se, à conta de traumas do passado, não poderemos deixar escapar um idílico presente. É que tendemos sempre a fazer, ainda que inconscientemente, comparações com o que já correu mal, um dia lá atrás. E até se conseguir ganhar a coragem e a confiança para acreditar que desta é que é, andamos num passo a passo vagaroso e desconfiado, sempre à cata de indícios desanimadores que comprovem uma malfadada teoria da desilusão.
O único consolo que nos resta é o de saber que se do outro lado estiver mesmo aquela que será a nossa pessoa, ela conseguirá aos poucos rejuvenescer-nos emocionalmente ( de uma forma tão especial que os cremes anti rugas dariam tudo para deter tal fórmula). Conseguirá aos poucos fazer-nos confiar que desta é que é. E um dia, seja lá qual for o número de lágrimas choradas ou de cacos em que nos desfizeram o coração, será mesmo. Pelo menos, e apesar de todos os pontos de interrogação que me pairam no cérebro, eu acredito nisso.
Advertisements

4 Responses to “Os corações destroçados”

  1. João de Castro Nunes Friday 2 September 2011 at 13:23 #

    Penas de amor são terríveis
    e difíceis de passar,
    chegando mesmo a matar
    quando excede certos níveis!

    JCN

  2. Laetitia Friday 2 September 2011 at 13:28 #

    O pior? É mesmo verdade.

  3. João de Castro Nunes Friday 2 September 2011 at 18:11 #

    A quem o diz! JCN

  4. T.Radcliffe Monday 13 August 2012 at 23:59 #

    O mesmo que feri é o mesmo que nos da força a seguir!

Express yourself!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s