Ter um blog

8 Aug
No dia em que um dos meus blogs preferidos acabou, dou por mim a pensar nestas coisas da blogosfera. Toda a gente sabe que isto, por aqui, é feito de encontros e desencontros.
Quando criei o blog, em 2008, não tinha bem a certeza se ia durar. Tanto que fiquei cinco meses sem escrever nada. Só em Janeiro, com o ímpeto dos novos começos a que o novo ano adora dar mote, é que me decidi. Fi-lo porque gostava, e gosto, de escrever, porque sentia que tinha alguma coisa a dizer. Poderia ter escrito numa agenda, ou num bloco supimpa dos tantos que tenho. Podia ter lá colado as fotos de que gosto, os devaneios em que a minha cabeça adora perder-se. Mas, num acto de coragem – sim, partilhar uma parte da vida com pessoas que não se conhece é, digam o que disserem, corajoso – achei que valia a pena. Porque sim, porque gosto de partilhar vivências. Três anos e alguns meses depois ainda por cá ando.
Já vi nascer muitos blogs, já perdi muitos que venerava. Conheci pessoas que valem muito a pena, e outras que, como na vida, não merecem sequer um pensamento. A verdade é que isto já se tornou um vício. Não conto aqui tudo o que me acontece ou toda a minha vida. Há quem o faça, eu não. Há coisas que são muito minhas e dos meus. Mas conto o que diria a qualquer conhecido, talvez mais.
Contudo, estaria a mentir se dissesse que ter um blog é fácil. Não é. Fácil é arranjar um, começá-lo cheio de ânimo. Isso qualquer pessoa consegue. Difícil é com o passar do tempo. Arranjar uma brecha na vida de todos os dias para escrever. Lidar com dias em que não apetece dizer nada, e com outros em que parece que ficamos cansados só de pensar no tanto que queremos dizer. Ter paciência para insultos gratuitos, para plagiadores, ladrões de fotos, e que tais. Para invejosos, falsos, provocação gratuita.
De todo o modo se este texto se resumisse a balanços, seria forçada a admitir, de sorriso rasgado estampado no rosto, que o meu é mais que positivo. E por isso cá continuarei. Sentindo, obviamente, a falta das vidas que davam cor a alguns blogs. Elas continuarão, certamente. Mais felizes, espero eu.
Advertisements

One Response to “Ter um blog”

  1. A Bomboca Mais Gostosa Wednesday 8 August 2012 at 16:27 #

    Que post óptimo mesmo 🙂
    Eu que estou a começar nisto dos blogs, percebo que seja mesmo assim e, espero, estar também por cá mais uns anos 🙂

Express yourself!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s