E o demónio abre a porta

23 Aug
“A gente pensa que o diabo entra pela porta de trás, que vem com os inimigos, mas a verdade é que nós mesmos abrimos a porta para o demónio no momento em que confiamos em alguém.”
 
                                                                       Patrícia Melo in O Ladrão de Cadáveres
 
 
 
Tenho a mania de escrever, num caderno que decidi próprio para o efeito, todos as “passagens” que me prendem a atenção quando estou a ler um livro. De tempos a tempos lá recorro eu aos meus apontamentos, que recuso apelidar de gatafunhos embora sejam escritos à mão, comme il faut. Podem dizer que é coisa de antigamente, isto de escrever à mão. Mas a verdade é que eu, ainda tão nova, já sou das que diz que ainda é do tempo em que as pessoas sabiam (e gostavam) de escrever à mão. Adiante, isto tudo para dizer que, a sensação de alguém ter escrito precisamente aquilo que pensamos é incrivelmente surpreendente. Esquisita em alguns momentos, como todas as coincidências o são.
Por isso é que hoje me apeteceu partilhar a que escrevi acima. Não é bonita, diria que é um tanto ou quanto crua até, mas é tão real que ao lê-la me senti culpada pelo crime descrito: o de dar confiança a quem um dia não a mereceu. A de ter aberto a porta ao diabo.
Não sei se há algum antídoto para evitar as desilusões com as pessoas. De tão imperfeitos que somos é natural que estejamos (quase) sempre a desiludir alguém. Mas sei que podemos estar alerta para evitarmos pessoas com mais inclinação para nos magoar. A perspicácia treina-se, e a intuição, essa, pode ser a nossa melhor amiga. É claro que vamos continuar a cair, a dar tombos dos feios, não se iludam. Ao longo da vida há sempre alguém que não é o que parecia ser, alguém que nos faz perguntar a nós próprios “porque é que eu confiei nele ?”, ou nela, que o género é o que menos importa aqui. Mas não serão também essas nossas marcas de estrada que nos dão tarimba? Que nos vão mostrando o que queremos e o que não queremos? O que somos capazes de aceitar e o que reiteramos com força de lei, pelo menos no nosso mundo, de inadmissível? Que, no fundo, nos tornam pessoas melhores? É que, nesta vida, a única coisa de que não nos conseguimos realmente levantar é da morte.
 
 
Advertisements

4 Responses to “E o demónio abre a porta”

  1. A Bomboca Mais Gostosa Thursday 23 August 2012 at 09:53 #

    Realmente essa passagem é muito crua, mas ao mesmo tempo muito verdadeira e reflecte bem a vida.

  2. Isabel Thursday 23 August 2012 at 10:06 #

    A verdade, sem dó nem piedade… Gosto de ler estes posts.

    bjs*

  3. S* Thursday 23 August 2012 at 12:54 #

    Há gente mesmo traiçoeira, caramba.

  4. Ana Thursday 23 August 2012 at 14:10 #

    Uma grande verdade.
    Infelizmente, nem todas as pessoas são o que parecem!

Express yourself!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s