Dia dos namorados: guia de sobrevivência para solteiros

14 Feb
Quando se está na pele de solteira o dia dos namorados pode transformar-se numa verdadeira tortura, digna do nome bullying. De repente, parece que caiu um feitiço de amor sobre a humanidade. Toda a gente se ama, toda a gente tem para os braços de quem correr ao final da tarde, todos dão beijos de cortar a respiração, mas… e nós? Apetece vociferar, gritar ao universo, ou ao tal do São Valentim, e eu? Porque é que eu não tenho amor? Porque é que se esqueceram de mim? E, por entre esta revolta muda, os corações multiplicam-se. Ou melhor dizendo, quadruplicam-se. A propósito, alguém sabe de onde é que saem tantos corações no dia dos namorados?
 
Eu sei o que é viver sem amor. Querer abraços apertados, beijos molhados, sorrisos cúmplices, e não ter mais que a vontade disso tudo. E desengane-se quem pensa que é fácil. Não é. Ser solteiro é uma verdadeira prova de fogo ao amor próprio. Porque é giro fazer-se o que quer à hora que se quer, é bom estar sempre disponível para os amigos. Sim, é. Mas não substitui aquela vontade de ter quem nos arrebate, nem preenche o vácuo que carregamos no coração e que se acentua a cada vez que vemos um casal feliz, de mãos dadas e corações entrelaçados.
Apesar disto tudo, sou a prova viva que é só uma questão de tempo até encontrarmos o par que nos enche as medidas. Não posso dizer-vos quando acontecerá, mas posso garantir que vai acontecer. Toda a gente merece ter amor. E, mais cedo ou mais tarde, ele acaba sempre por nos cair no colo. O mais importante é viver, gostarmos de nós próprios, e permitirmo-nos. Nos entretantos deixo-vos algumas sugestões para sobreviver ao dia mais romântico do ano: 
solteiras-page-001
 
Desde apostar num corte novo, pintar as unhas com um verniz improvável ou receber uma massagem deliciosa, há uma data de alternativas para este dia passar num ápice. Que tal uma ida às compras seguida de pizza com as amigas? Ou um banho aromático à luz das velas depois de uma revigorante ida ao ginásio? A Audrey Hepburn também pode ser uma óptima companhia. Ou aquele livro que queremos muito ler mas andamos a adiar há que tempos. Comprar os sapatos que andamos a namorar desde que chegaram à loja também me parece uma boa ideia. Afinal já dizia, muito sabiamente, a nossa Carrie:”Sometimes it’s hard to walk in a single woman’s shoesThat’s why we need really special ones”. E nisto os ponteiros do relógio já nos dizem que é dia 15.
Afinal o dia dos namorados não foi assim tão mau, pois não?
Advertisements

2 Responses to “Dia dos namorados: guia de sobrevivência para solteiros”

  1. Ana Filipa Rodrigues Thursday 14 February 2013 at 10:30 #

    É mesmo isso que vou fazer x)

  2. C.C. Thursday 14 February 2013 at 19:04 #

    Ooh, adorei!!

Express yourself!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s