O estado da Igreja

19 Feb
Numa altura em que a resignação do Papa anda nas bocas do mundo, confesso que sou assaltada por uma preocupação própria de quem olha a Igreja com desconfiança. Afinal, um dos nomes apontados como possível sucessor de Bento XVI está envolvido em escândalos de pedofilia. Outro parece ser homofóbico. Não é que queira ser má língua, mas que tipo de pessoas são essas? E antes que me interpretem mal adianto já que acredito em Deus. Apenas tenho dúvidas (muitas) acerca de uma instituição que instaurou a Inquisição e que ainda há pouco tempo se assumia contra o uso do preservativo. Sou católica sim, mas ninguém me convence que o Vaticano mais não é que uma “máfia santa”.  Com gente boa e com gente má, como em qualquer outro sítio. 
Advertisements

4 Responses to “O estado da Igreja”

  1. Bruno Tuesday 19 February 2013 at 21:53 #

    Laetitia,
    Quando falamos de Igreja e política as opiniões tendem a dividir-se e muitas vezes tornam-se fracturantes, e este caso particular a sucessão do Papa tornou-se um assunto na ordem do dia, muito se tem dito (as vezes falsamente sobre este assunto) até porque desde o início de pontificado houve uma desconfiança infundada sobre este Papa, olhavam para ele como o Perfeito da Congregação, como o Cardeal Ratzinger, mas esqueciam-se que no fundo Ele era apenas um humilde servo da vinha do Senhor…
    Não venho defender um possível sucessor, até porque nem conheço todos os candidatos, e acredito na “luz” do Espírito Santo que dará à Igreja um novo Sucessor de Pedro, capaz de enfrentar os desafios do mundo contemporâneo e defender a dignidade da vida humana.
    Cada ser humano, não poderá ser feliz se não aprender a fazer da sua vida um dom, e muitas vezes a sociedade e a fragilidade da pessoa humana (nos seus desvios à vida de santidade e de verdade, erra o seu caminho e aparecem os podres da sociedade como a pedofilia, o homofobismo, entre outros) tende a ceder aos prazeres da carne e esquece que deve procurar acima de tudo respeitar a dignidade humana procurando o bem comum, tendo por caminho e orientação aquele testemunho verdadeiro que nasce da cruz.
    A santidade deve ser uma meta e pede-se aqueles que conduzem a Igreja, não como instituição física, mas como “corpo” onde cada um de nós é um membro, a penalização destes pecados graves que levam ao descrédito e ao desprezo da Igreja e daqueles que deveriam servir e não servir-se… Parece-me que o Sucessor de Pedro deveria olhar para estes casos flagrantes e perceber o que está por detrs e mostrar ao mundo que mesmo os santos durante a sua vida pecavam (que é o afastamento do amor de Deus) ´várias vezes por dia mas tinham a força e a vontade para mudarem.
    Acredito que deste Conclave sairá aquele que aos olhos de Deus será o homem que melhor estará em condições de conduzir o rebanho do Senhor, e, apesar das suas limitações e falhas servirá os seus irmãos.

    E a terminar, porque daqui a nada isto vira uma “”salganhada”” nem sempre aqueles que são apontados como papáeis são efectivamente elevados à Cátedra de Pedro…
    Um beijinho

  2. Bruno Monday 25 February 2013 at 22:48 #

    Ainda sobre este tema, deixo aqui um artigo que li e me pareceu muito interessante:
    http://networkedblogs.com/IGc7I

    Beijinho

  3. Bruno Monday 25 February 2013 at 23:07 #

    http://pt.scribd.com/doc/125772615/20130215-Julian-CarrOn

  4. Laetitia Tuesday 26 February 2013 at 00:25 #

    Bruno o artigo está mesmo super interessante. Obrigada por partilhares (os dois). 😀
    Um resto de boa noite e beijinhos. 😉

Express yourself!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s